Seguidores

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

A Charrete do Nhonhô

Quando passamos o Natal de 1962 na praia de Cabeçudas, fui com meu avô a Brusque comprar uma charrete. Seu fabricante, um simpático alemão, mostrou-nos vários modelos e vovô escolheu aquela de capotinha de vai-vem, pintada de amarelo e preto. Combinado o preço, combinado o frete "posto Orlândia", ele fez o cheque. Pagou adiantado.

A charrete até ontem não foi entregue, só se foi hoje cedo, com 48 anos de atraso. De nada valeram as cartas, telefonemas, apelos do gerente do BB, o alemão era velhaco mesmo, ficou com a grana e não entregou a mercadoria.

No mês passado, passando por Brusque, contei o caso ao meu amigo Cimitan, parceiro do périplo catarinense, e seguimos viagem, chegando a Treze Tílias ao anoitecer. Essa cidade é uma graça, pequena, acolhedora, um pedaço da Áustria a 350 km do litoral.

Como sabemos, Cimitan é escultor de reconhecido talento, e Treze Tílias é berço de bons artistas do ramo. Fomos visitar um dos melhores e na conversa, Cimitan contou o caso da charrete...

Ficamos com ele toda a manhã e eu, que não sou do ramo, fiquei encantado com seu trabalho, tanto que não resisti, encomendei um nú feminino, torso, em marfim.

Nem fiz cheque, paguei no grampo. Adiantado. Até para o sedex.

Cimitan, de viés, olhou desconfiado.

E a conversa seguiu, cafézinho, coisa e tal. Na saída, Werner sorriu:

- Podes ter certeza que o caso da charrete não se repetirá !

Fiquei rosado de vergonha, Cimitan gargalhou.

Mas... meu nú ainda não chegou.

(Avisarei quando chegar)

4 comentários:

Eduardo P.L disse...

Aloísio,

desde que desliguei o telefonema seu, na tarde de ontem, quando me esqueci de perguntar se havia chegado o torso, estou para te ligar perguntando! Mas você foi mais rápido!!! Como havia me dito: " o gostoso é ficar "esperando" pelo Sedex!" você deve estar "cheio de prazer"!!!!! srsrs
Mas não tem nada não, se não chegar nos próximos meses voltaremos lá, e traremos seu torso e outros tantos, de juro pelo atraso! Não vai ficar como a charrete do seu Nhônhô !!!!
Abçs

Eduardo P.L disse...

Sua crônica foi parar no Drops! Abçs

Eduardo P.L disse...

Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Crônica do Aloísio de Almeida Prado":

1962?
Compraram uma charete?
Deram o cano?
Vô descobrir quem já era filha da puta há 48 anos,
Sei que hoje tem muito mais. Mas vou descobrir.
Depois te conto. Isso se o Alrzeimá (aquele alemão do esquecimento) não atrapalhá.
Salím jura brá deus.
Cobre,tá?
Strixflamea@bol.com.br
Góra, si ja sabes que foi o FDP, ajuda, pô.



Postado por Anônimo

Esse comentário foi feito no Drops!

Marcos Junqueira Netto disse...

AHAHAHAH! Não te aguento, Aloisio.

Quem sou eu

Minha foto
Pugnador, objetivo e justiceiro

Arquivo do blog

Dos caminhos por onde andei

Dos caminhos por onde andei
Click na imagem e compre o livro.

Autor do blog no aeroporto de Florianópolis

Autor do blog no aeroporto de Florianópolis
Foto: E.P.L.

Minha CARICATURA

Minha CARICATURA
O "amigo da onça" se chama Eduardo P.L. Cimitan